A fosforilação cíclica

21/04/2010 10:36

A fosforilação cíclica

Uma via alternativa para os elétrons oriundos do P700, o centro de reação do Fotossistema 1, contribui para a versatilidade da fotossíntese. O elétron de alto potencial na ferredoxina pode ser transferido para o complexo de citocromo bf em vez de o ser para NADP+ . Esse elétron flui então de volta para a forma oxidada do P700 através da plastocianina. Esse fluxo de elétrons leva só ao bombeamento de prótons pelo complexo de citocromo bf. O gradiente de prótons resultante impulsiona então a síntese de ATP. Nesse processo chamado de fotofosforilação cíclica,  gera-se ATP  sem a formação concomitante de NADPH. O Fotossistema 2 não participa na fosforilação cíclica e por isso não se forma O2 a partir da H2O.

Acredita-se que a maioria dos mecanismos fotossintetizantes mais primitivos funcionava desta forma e esta é, aparentemente, a maneira pelo qual algumas bactérias realizam a fotossíntese. Os eucariontes fotossintetizantes também são capazes de sintetizar ATP pelo fluxo cíclico de elétrons. Contudo, não há fotólise da água, liberação de O2 e nenhum NADPH é formado. O único produto é o ATP. Acredita-se também que tanto o fluxo quanto a fotofosforilação cíclica ocorram quando as células possuem poder redutor suficiente para forma NADPH, porém necessitam de ATP adicional para outras atividades metabólicas. Portanto,os cloroplastos são capazes de se adaptar a alterações em suas condições, variando a proporção do fluxo de elétrons cíclico e não-cíclico. Então, a fotofosforilação cíclica ocorre quando não há NADP+ disponível para aceitar elétrons da ferredoxina reduzida, devido a uma relação muito alta de NADPH para NADP+ .

Fonte: Cláudio Cardoso - Fisiologia Vegetal 

Comente: A fosforilação cíclica

Fosforilacao

Mauro | 09/12/2016

Qual a distinção entre a fosforilação cíclica e não cíclica?

muito

fisio | 15/07/2013

muito bom!

Novo comentário